top of page

Juliana Barbosa: Efeitos da “Cadeia Produtiva do Bambu”

“A partir desta rede temática, conseguimos fortalecer a pesquisa e a extensão na Unesp”, relata a entrevistada.


Juliana Cortez Barbosa, professora da Unesp e coordenadora da rede Cadeia Produtiva do Bambu
Profª Drª Juliana Cortez Barbosa, Docente e Assessora da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura

As redes temáticas de extensão surgiram com o intuito de fortalecer o desenvolvimento de projetos na Universidade. Dessa forma, elas auxiliam professores que estão elaborando pesquisas similares a se juntarem durante o processo de produção, interligando assim indivíduos que estão trabalhando com a mesma temática para fortalecê-la.


“As redes temáticas são um espetáculo porque vieram para aumentar o potencial de produção científica da Unesp”, afirma a Prof.ª Dr.ª Juliana Cortez Barbosa, graduada em Arquitetura e Urbanismo e coordenadora da Rede “Cadeia Produtiva do Bambu”. Ela explica a importância da implementação destas estratégias, visto que as mesmas influenciam diretamente no fortalecimento da pesquisa e extensão na Unesp.


Atualmente, há onze redes aprovadas pela Instituição que possuem temáticas e pesquisadores diversos, além dos estudantes bolsistas que colaboram com o projeto. De acordo com Juliana, os conhecimentos de cada área se complementam para criar soluções e desenvolver ideias que impactem positivamente a comunidade externa à Universidade.


No caso da “Cadeia Produtiva do Bambu”, a entrevistada diz que seu entendimento sobre a planta se complementa com o de outros professores que são químicos ou farmacêuticos, por exemplo. "Eu sei as espécies, como elas crescem, quais são as melhores folhas, como ensinar a comunidade a cultivar, entre outros, mas eu não sei fazer o extrativo porque é a função de um químico”, e a partir da junção de diversos campi e formações, as demandas conseguem ser atendidas, gerando benefícios para a sociedade.


O investimento da Instituição nas redes temáticas também está sendo extremamente importante para a implementação dos projetos. A professora relata que a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura ofereceu inúmeras bolsas aos estudantes, para que as práticas sejam incentivadas, reiterando assim a importância para a própria Unesp. “Os alunos estão se conhecendo e trabalhando de uma maneira interdisciplinar, então estamos vendo grandes avanços da ciência e da extensão", encerra Juliana.



Commenti


bottom of page