Open Site Navigation

Design Social / Webdesign

Serviços

Vila Vicentina

Cliente

Responsável

Lucas Melara

A Memória Oral como produto na Economia Criativa

Velhas Lembranças,

Memórias de Vida

A partir da mobilização de quarenta vicentinos, oriundos da Société de Saint-Vincent-de-Paul, fundada em 1833 em Paris pelo beato Antoine Frédéric Ozanam, essa entidade se tornou uma fortaleza na defesa dos direitos humanos dos excluídos. Aliando-se a autoridades bauruenses de diversos segmentos, os vicentinos assinaram um manifesto de apelo à população de Bauru.  No dia 01/03/1940, a Vila Vicentina iniciou os trabalhos em um lote doado por Antônio Galvão de Castro, Benedicta Cardoso Madureira e Diógenes Garcia, com 12.100 cruzeiros destinados à construção de dois pavilhões para abrigar idosas, um pavilhão para idosos e uma enfermaria, além das áreas do pátio, da cozinha, da lavanderia e do escritório. Aos poucos, os serviços para a comunidade foram se expandindo para além do suporte residencial e alimentar, e atualmente os idosos recebem tratamentos em diferentes áreas da saúde, com  atendimento médico, fisioterapia, odontologia e psicologia, além da realização de atividades culturais, pedagógicas, religiosas e sociais.

Em 2020, a instituição comemora seu 80º aniversário.  Propõe campanhas para projeto arquitetônico, manutenção da estrutura do LAR e continuidade dos serviços, a fim de garantir dignidade e respeito aos 79 idosos. Trata-se de VIDAS impactadas diretamente pelas atividades do espaço. Dentre essas 79 PESSOAS, 30 frequentam o Centro Dia de Referência da Pessoa Idosa.  É um espaço social destinado à prestação diurna de serviços de assistência social, com suporte em diversos âmbitos para promover a socialização através de atividades culturais, andragógicas e pedagógicas.  Tem por objetivo favorecer a autonomia tanto do idoso que recebe cuidados em casa quanto do cuidador que o auxilia. Além disso, 49 idosos, entre homens e mulheres, são abrigados na instituição. Contam com moradia, alimentação, atividades de lazer, oficinas de artesanato, uma escola dedicada ao ensino básico, auxílio médico, dentre outras ações realizadas por cuidadores e por diversos personagens que, vinte e quatro horas por dia, dedicam-se direta ou indiretamente ao cuidado dos idosos. Muitas dessas pessoas possuem histórias de vida inteiramente ligadas ao LAR.

O desenvolvimento prático do projeto se deu com convivência e entrevistas com os abrigados acerca de suas vivências, relatos e histórias. Foi definido um roteiro previamente redigido, em conjunto com uma estudante de jornalismo, a fim de traduzir as informações coletadas sob forma imagética (fotográfica). A ferramenta da pesquisa de campo foi utilizada em acordo com a proposta de interlocução junto da comunidade envolvida com abordagem qualitativa. A Fotografia, tendo como modelos os abrigados, seus bens materiais e imateriais e o entorno, construiu um cenário e estabeleceu diálogo com os relatos para fins da elaboração do resultado prático final. O projeto gráfico do livro contou com a colaboração da designer e artista visual Mana Bernardes, responsável pela tipografia do título da capa e dos títulos de abertura dos capítulos.

O Desenvolvimento

O produto final da pesquisa (livro) foi convidado para lançamento na Festa Literária Internacional de Paraty, na Bienal do Livro do Rio de Janeiro e na feira LER - Salão Carioca, nas edições de 2019, em conjunto com exposição das telas fotográficas. Em Bauru, o livro foi lançado no 69º Churrasco Anual da Vila Vicentina, evento no calendário municipal.  Ganhou destaque por comemorar os 80 anos da instituição, quando ocorreu a venda de exemplares, possibilitando a segunda edição do projeto. Também recebeu evento solene na semana de comemoração do aniversário de Bauru.

O projeto Velhas Lembranças, Memórias de Vida propõe aprendizado quanto ao estabelecimento de diálogos com interlocutores.  No caso, os idosos abrigados, de forma a estabelecer confiança para os relatos de suas lembranças e memórias de VIDA.

 

Considera-se que as ações da Vila Vicentina são relevantes para a sociedade, principalmente no que se refere aos idosos que vivem em situação de risco, abandono e/ou vulnerabilidade social.

Lançamentos