top of page

3 Perguntas: Jaine Silva - “A curadoria é a luz sobre os artesãos”


3 Perguntas: Jaine Silva: “A curadoria é a luz sobre os artesãos”
Conheça o trabalho curatorial da produtora Jaine Silva

A curadoria muitas vezes é uma área que fica oculta dentro da produção cultural, mas é uma etapa necessária para que um evento ou exposição sejam satisfatórios em conteúdo e conceito. Reconhecer artistas e integrá-los em espaços de divulgação envolve pesquisa, conceituação e muita referência em arte e cultura.


Jaine Silva é produtora cultural com vasta experiência na área de curadoria, artesanato, design e patrimônio. Desde 1999 realiza exposições e mesas-redondas sobre o tema. De 1999 a 2015 foi coordenadora executiva do museu A CASA – Casa Museu do Objeto Brasileiro, instituição que contribui para o reconhecimento, valorização e desenvolvimento do artesanato e design brasileiro. Nesse período fez a produção executiva de mais de 60 ações culturais. É assistente de curadoria de Adélia Borges desde 2018 e atua de forma independente.


Exposição Espedito Seleiro: da sela à passarela, 2013. Realização A CASA museu do objeto brasileiro, São Paulo, curadoria Renata Mellão. Foto Gustavo Ribeiro.

No #3Perguntas desta semana, conheça mais sobre o trabalho “por trás das cortinas” da produtora Jaine Silva!


A produção cultural é uma área muito abrangente. Como a área da curadoria entra no processo de produção numa exposição ou evento de arte?

A produção anda junto com a curadoria das exposições. A curadoria é o norte, o olhar estético, é o conteúdo, a escolha, a pesquisa. A produção é a execução, é o planejamento, é o cuidado, é a resolução. Sem curadoria não tem produção, sem produção não tem exposição!


O artesanato é uma expressão artística muito tradicional no Brasil. De que forma a curadoria artística nessa área ajuda os artesãos a divulgarem e exporem seus produtos?

Eu diria que a curadoria é a luz sobre os artesãos. O Brasil é muito grande e tem muita gente boa fazendo coisas lindas, mas muitos não conseguem um lugarzinho ao sol. Precisamos de políticas públicas. O artesanato precisa de incentivo, capacitação, valorização, divulgação, orientação. Através do artesanato conseguimos contar a nossa história e isso é muito importante! Com exposições, feiras, rodas de conversa, oficinas, livros, vídeos, conseguimos chegar nesses grupos e divulgar seus trabalhos para um número maior de pessoas. Ė emocionante ver os olhinhos brilhando dos artesãos olhando seus próprios trabalhos numa exposição!


Exposição Origem Vegetal - a biodiversidade transformada, 2016. Realização CRAB Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro, Rio de Janeiro, curadoria Adélia Borges e Jair de Souza. Foto Guilherme Lima.

Você tem algum projeto que se orgulha em ter participado?

Eu destacaria o último projeto, a exposição EntreMeadas (2019-2023) com curadoria de Adélia Borges, minha assistência e realização do Sesc São Paulo. Essa exposição abriu antes da pandemia (2019-2020) no Sesc Vila Mariana, parou durante a pandemia (2020- 2021), reabriu no Sesc Guarulhos (2022) e se encerrou no Sesc Bauru (2022-2023). Foi um projeto lindo, somente com mulheres artesãs do Estado de São Paulo e uma diversidade de tipologias incríveis! A exposição contou ainda com uma videoteca, biblioteca, oficinas, feira e um seminário onde algumas participantes da exposição e outros grupos da região falaram sobre o seu trabalho.


Para conhecer mais sobre o trabalho de Jaine, acesse: jaine silva :: produção | programação visual, e também pelo Instagram @jainesilva


Comments


bottom of page