top of page

Por que queremos o fim do mundo (e logo)


Queremos o #fimdomundo porque é possível alterar o curso de destruição do planeta e garantir direitos universais

Pode ser estranho e desagradável sair por aí falando que deseja o fim do mundo. Mas às vezes é preciso terminar um ciclo para começar outro. Nesse caso, é preciso o fim de um mundo para que outro ressurja.


O século XXI está marcado por uma pandemia que teve origem por problemas ambientais, como o desmatamento. Sua disseminação mostrou a face daqueles que deveriam garantir saúde a todas as pessoas: nem sempre a tecnologia e o desenvolvimento realmente significam progresso.


Queremos o fim do mundo porque o modelo de sociedade já não é sustentável. Hoje, a desigualdade normalmente revela que o progresso de uns é a vulnerabilidade de outros.


Queremos o fim do mundo porque a fome ainda é uma realidade para muitos, e o desenvolvimento de pesquisas, como os transgênicos, não significa qualidade de vida e alimentação saudável para locais com gravíssimos indicadores de desenvolvimento.


Queremos o fim do mundo porque a dependência dos combustíveis fósseis está relacionada ao aumento da temperatura terrestre, secas, ondas de calor, inundações e outros agravantes, que colocam em risco a todos.


Queremos o fim do mundo porque a violência, o armamentismo e as guerras acabam com a dignidade e direito à vida em comunidade, colocando em risco populações inteiras que vivem em estado de alerta.


Queremos o fim do mundo porque esse já está fadado ao fim. E vamos te contar hoje como podemos construir um novo.


Vem aí o Fórum para o Fim do Mundo!

Fórum para o Fim do Mundo
O Fórum para o Fim do Mundo também traz convidados especialistas para debater os 5p's da Agenda 2030

A Semana Global #Act4SDGs é uma mobilização que ocorre durante a semana de alto nível da Assembleia Geral da ONU em setembro, para mostrar aos líderes mundiais que pessoas de todo o mundo estão comprometidas, dedicadas e inspiradas a agir sobre os ODS. A mobilização deste ano se concentra nos principais temas de Clima, Justiça e Paz e marca o ponto intermediário da Agenda 2030.


Precisamos de novas soluções, novas abordagens e #VirarOScript sobre como fazemos as coisas para brilhar uma luz de esperança que ressoe além das fronteiras. Para mostrar que nossas escolhas e ações individuais são importantes. E coletivamente, somos uma força massiva que pode trazer mudanças transformadoras e alcançar um futuro melhor.

Alertando os 7 anos do lançamento da Agenda 2030, o Fórum para o Fim do Mundo convida a todos para refletir e propor ações para a eficácia da implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável baseado nos 5 eixos norteadores da Agenda 2030: paz, parcerias, prosperidade, pessoas e planeta. Acompanhe nossa programação:


26/09 - Segunda-feira, 19:00 às 20:30

DIA 1 - Parcerias - A segunda-feira é dirigida para falar sobre as parcerias. Então vamos abordar a importância que as parcerias têm para a execução e alcance da Agenda 2030, porque a articulação é um dos caminhos essenciais, tanto das instituições, organizações, empresas, governos e sociedade civil organizada, para que as metas sejam trabalhadas tanto de forma individual, mas também de forma integrada.


27/09 - Terça-feira, 19h às 20:30h

DIA 2 - Pessoas e paz - A terça-feira é dirigida para a paz e as pessoas. A razão da gente fazer a união entre esses 2 temas é justamente porque a paz pode ser considerada um dos ODS mais radicais que nós temos, porque enquanto as pessoas não tiverem acesso às necessidades básicas humanas de forma democrática, não haverá paz. Então pra gente falar sobre paz, a gente precisa falar sobre o fortalecimento das instituições e o alcance dessas necessidades. Sendo assim, a grande pauta da terça-feira é a insegurança alimentar e como podemos pensar na erradicação da fome através de ações sociais.


28/09 - Quarta-feira, 19h às 20h30

DIA 3 - Planeta - A quarta-feira é o dia dedicado para ações em prol do planeta. Essa temática gira em torno da questão do aquecimento global e da pandemia climática, tendo em vista que há um conjunto de ações que devem ser realizadas e objetivos a serem atingidos para que a gente consiga manter a nossa residência, porque, ao contrário do que muitas pessoas pensam, a gente não quer que a sustentabilidade venha para salvar o planeta, porque o planeta por si só se regenera, o que a gente precisa garantir é que as condições para que a vida humana deste planeta continuem estabelecidas. E isso é uma pauta urgente.


29/09 - Quinta-feira, 19h às 20h30

DIA 4 - Prosperidade - Já quinta-feira é destinada ao tema prosperidade, onde o foco é a economia criativa, no pensamento criativo e imaterial, especialmente quando a gente fala sobre os novos padrões de consumo. A economia criativa se posiciona para trabalhar a imaterialidade no lugar da economia do petróleo, justamente porque são os serviços e a criatividade que dispõem das tecnologias necessárias. E que usam os recursos renováveis e inesgotáveis necessários para manter a nossa sociedade, no lugar dos combustíveis fósseis. Esse recurso principal é a criatividade.


bottom of page